terça-feira, 5 de março de 2013

MENTALIDADE LIVRE X MENTALIDADE DE ESCRAVO


A Palavra da Pra Elaine Mei Torquato no Culto das Mulheres do dia 27/03/2013 foi baseada neste texto abaixo. Vale a pena ler. Muito interessante.


MENTALIDADE LIVRE X MENTALIDADE DE ESCRAVO



Durante séculos Satanás aprisionou a igreja de Jesus, no que diz respeito às emoções. Porém, Deus tem nos levado a uma dimensão, onde estamos mudando a nossa atitude, modificando nossa postura e ampliando nossos horizontes a partir do que Ele tem realizado em nossas almas.

Deus tem pressa em libertar a alma de seus filhos e promover cura. Isso é tão evidente que para que os judeus voltassem para Jerusalém para reerguer o templo, passaram por uma transposição de mente, pois não poderiam ir com a mentalidade de escravo.

Na parábola do filho pródigo (Lc.15:11-32), vemos um filho escravo do pecado e livre no entendimento, e outro livre do pecado, mas escravo no entendimento. Se havia dívida do filho mais novo, também havia do mais velho. O filho mais velho poderia ser um líder potente, mas tinha mentalidade de empregado e não considerava nem o pai, nem o irmão.

O pai convoca uma celebração pela volta do esbanjador, e o outro se queixa que sempre trabalhou e nunca recebeu nada, nem um cabrito. Ele tinha uma visão mesquinha e não tomava posse da bênção. Porém, Jesus disse que no fim os cabritos vão ficar à esquerda, como seleção de coisa que não presta (Mt.25:33).

Há pessoas que podem melhorar suas vidas, ter melhor expressão social, ter ascensão profissional, mas vivem conformados com seu estilo de vida. Preferem morar em favelas no centro da cidade a morarem em casas com melhores condições longe do centro, quando tem essa oportunidade. Morar em favela não é pecado, mas pode ser, dependendo de você, se for acomodado e preguiçoso, porque a favela não está fora, está dentro da pessoa. Qual será o seu cabritinho de estimação? A ordem de Deus é para alcançar novos territórios. Você deve ser alguém diferente, com uma proposta tremenda, com capacidade de perceber o que Deus está entregando em sua mão.

Não vamos trazer para o reino físico o lado miserável. Pare de alimentar a miserabilidade.

Muitos casamentos viram uns tédios e não mudam, porque os casais se acostumaram a viver com os sintomas crônicos da mesmice, monotonia, briga, frieza. Alguns até gostam disso.

Quantas pessoas poderiam receber um cargo novo do seu patrão, mas não recebem por não terem qualificação. Pessoas que nunca buscam um aprimoramento na área profissional são os mesmos a vida toda.

A cada dia temos que acordar em um novo degrau de fé e de vitória, aprendendo a deixar de lado o “cabritinho”, ou seja, o pensamento no salário que só dá para pagar o “quartinho” e o “pratinho de comida”.

A Bíblia diz que o justo vive da fé. Dimensione que em Deus você pode usufruir coisas maiores. Muita gente se escandaliza com Deus, mas na verdade é Deus quem está escandalizado com essa gente, porque estão caminhando com Ele há tanto tempo e nunca aprenderam que Ele é um Pai sempre pronto a presentear seus filhos e celebrar com eles. É um Pai que tem um coração que suporta tanto um filho que sai de casa lhe dando as costas, quanto o filho que fica no campo, mas que estava tão perdido quanto o que foi embora lhe dando à mesma oportunidade dizendo: “meu filho, que história de cabrito é essa? Tudo o que eu tenho é teu”. Você não sabe o que possui não saber quem é?

Deus usa o texto de Lucas 15 para mostrar três restituições: a dracma perdida, a ovelha perdida e o filho pródigo perdido.

Uma dracma aparentemente não tem valor, mas você vale muito. Se alguém fica contente por ter encontrado uma dracma perdida, quanto mais por um ser humano! E o que é uma ovelha diante de um rebanho tão grande? Se você não está se valorizando, essa ovelha pode ser você. Quanto a filho pródigo, só estamos acostumados a ouvir sobre o filho que saiu e não prestamos atenção no que ficou que era mais doente que o outro. O que saiu pelo menos era corajoso o suficiente para dizer para o pai o que estava sentindo, mas o covarde ficava calado, trabalhava contra o pai, já tinha anulado a família do coração e guardava uma profunda mágoa. Sem nem falar a palavra pai, ele já foi logo pedindo contas da festa para o irmão. Que comportamento austero, preferia pegar uma enxada, um machado e ir trabalhar no campo, mas não usufruía da posição de filho, como muitos que estão na igreja. Valorizava o campo, mas não valorizava a casa do pai, nem o irmão. E Jesus mostra aí a figura da igreja e a figura de Israel: quando a igreja voltasse para casa, ou seja, os judeus sentiriam ciúmes.

Imagine que você mora numa casa que não é sua, cuida de um terreno que não é seu, caminha por campos que não lhe pertencem, e é chamado de escravo. Israel passou 70 anos assim e só um homem, Esdras, se levantou como escriba, levita e sacerdote para mudar a mentalidade dos judeus. Ele convenceu o povo a entrar na terra prometida depois do cativeiro, mas havia um detalhe: o referencial para se ficar lá era construir o templo do Senhor, que era o lugar de ensinar a doutrina. Depois cada um teria autoridade de ter seu próprio território. Para construir, ele usou a estratégia mais potente que há: levar o povo diariamente ao arrependimento dos pecados e das contaminações da Babilônia. E o povo investia tempo ouvindo Esdras, que ministrava diariamente a Palavra, para primeiro construir o templo dentro deles, porque com a mentalidade de escravos que tinham, era necessário que fossem lembrados a todo o instante que estavam agora em uma terra livre. Só que para entrar nesta terra, teriam que enfrentar inimigos, dentre os quais, muitos estavam dentro deles, para isso colocaram guardiões por toda a terra e não permitiam que fosse invadia. Depois que expulsaram os inimigos, construíram o templo e receberam a doutrina, porque o templo de Jerusalém foi feito para formar a mentalidade hebraica, pra que o povo soubesse que era Deus.

Deus não nos chamou para termos uma mentalidade de escravo, afinal nascemos para louvar e exaltar seu santo Nome. E Esdras sabia que era importante lembrar ao povo que eram livres, pois se não lembrasse no dia seguinte eles acordariam tão escravos quanto eram antes.

Você é livre, e está debaixo da graça, o pecado não tem mais domínio sobre você, então preste atenção em sua linguagem e decisões, que podem lhe levar a ficar sempre na mesma situação. Andamos na maioria das vezes como pessoas escravizadas. Não é em todo tempo que se tem ao lado uma pessoa com mentalidade de vida sadia. Então, não se associe a um julgo desigual, alguém que pensa diferente do que diz a Palavra, isso é não avançar. Comece a andar com pessoas de linguagem correta, que lhe abençoe e elimine toda palavra negativa lançada por você ou por outras pessoas a seu respeito. A terra que Deus lhe entregou, sua família, suas células, seu ministério, o trabalho em que você está só florescerão mediante a palavra que você liberar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário